DIÁRIO.png
Sem título-1.png
blog 2.png

Resende: MAM comemora 100 anos Semana de Arte Moderna de 22 com exposição

Com o tema “O que importa é a confusão”, mostra será aberta às 16h desta sexta-feira, dia 18 de fevereiro, no Centro Histórico.

A Prefeitura de Resende, por meio da Fundação Casa da Cultura Macedo Miranda (FCCMM), abrirá a exposição “100 anos da Semana de Arte Moderna de 22: O que importa é a confusão”, nesta sexta-feira, dia 18 de fevereiro, no Museu de Arte Moderna (MAM) de Resende. Às 17h desta sexta, haverá um bate-papo com a curadora da mostra, Sônia Siqueira, que será transmitida no Instagram da Prefeitura (@prefresende). A exposição estará aberta para visitação entre os dias 22 de fevereiro e 25 de março, de segunda a sexta-feira, das 11h às 17h, na sede do MAM, situada na Rua Doutor Cunha Ferreira, nº. 104, no Centro Histórico.

A diretora do MAM, Carmem Aguiar, explica a importância do movimento cultural no País, destacando sua história e expressividade no mundo ocidental.

— A chegada da arte moderna ao Brasil colocou as pessoas em sintonia com o que estava acontecendo na esfera artística no mundo ocidental. A Semana de Arte Moderna de 22 é a marca histórica do início do modernismo no País, referência cultural do século XX. A “Semana” alavancou uma renovação da linguagem artística, na busca de experimentação, liberdade criadora, ruptura com o passado e até corporal, pois a arte passou a ser moderna, chocando parte da sociedade ao trazer uma nova visão sobre os processos artísticos. O evento, que ocorreu no Teatro Municipal de São Paulo, foi a manifestação cultural de extrema relevância. O movimento fez o papel de divulgação da arte moderna, que, por sua vez, cultivou o terreno para a consolidação de uma revolução artística e literária que tomou forma após 1922, quando foram lançados os manifestos de Oswald de Andrade e as obras fundamentais do Primeiro Modernismo brasileiro – frisa.

Sônia Siqueira, curadora da mostra, adiantou que haverá um painel da história da arte moderna no Brasil, citando alguns nomes consagrados presentes nesta exposição.

— A mostra contará com grandes nomes da arte moderna, não necessariamente as obras que estão expostas são as que participaram da exposição de 22. O primeiro bloco corresponde à década de 1920, com nomes que estavam presentes no evento. O segundo módulo seria a continuação da semana, que não termina em 22, porque o modernismo está subdivido em duas fases: a primeira referente aos Movimentos Pau-Brasil e Antropofágica; e a segunda fase de caráter social, década de 30, em que a obra representa o trabalhador, o agricultor, o retirante. O último módulo intitulado “A Semana que não terminou” mostra como o artista, ainda hoje, relaciona-se com a arte moderna, como se encaixa nesse processo iniciado em Novecentos e que não terminou. O acervo do MAM de Resende é simplesmente fantástico; a população poderá prestigiar obras de Tarsila do Amaral, Lasar Segall, Iberê Camargo, Aldo Bonadei, Guignard, Santa Rosa, Goeldi e vários nomes ligados às diversas fases do modernismo – reforça.

Vale destacar que o MAM estará aberto à população, lembrando que grupos de até 15 pessoas poderão agendar visitas previamente pelo telefone (24) 3360 4077. “A entrada é gratuita. A visitação acontece de segunda a sexta, das 11h às 17h. Os grupos agendados devem ser formados por até 15 pessoas. Desde agosto do ano passado, voltamos com as atividades presenciais, respeitando sempre todos os protocolos de segurança sanitária. O uso de máscara é obrigatório. O MAM disponibiliza álcool em gel nas áreas de visitação”, acrescenta Carmem Aguiar.


Foto: Douglas Pacheco

VEJA TUDO:

 cidade    diário de itatiaia BLOG   cultura   esporte   política     polícia     vida social      colunistas      vídeos

+ MAIS NOTÍCIAS: